segunda-feira, agosto 20, 2007

Feraliminal Lycanthropizer

TURN ON THE MACHINE
LIGA A MAQUINA AQUI

O Feraliminal Lycanthropizer é um gerador tanato-àureo de ondas de baixa frequência. Conhecido por ter sido usado pelos Nazis e pelo seu efeito animalesco em sujeitos humanos testada com uma proximidade vibratória considerável, a máquina gera electronicamente duas ondas de seno subsónicas – uma de 3hz, a outra de 9hz. Juntas, estas duas frequências (uma actuando como portador, a outra com programa) geram uma terceira baixa frequência, 56hz.
Além destes geradores de ondas de seno, a máquina contêm quatro gravações em loop de durações diferentes cada uma contendo material textual. Dois destes loops funcionam para além da capacidade de decifração ( um forward, o outro backward). O efeito das ondas de seno subsónicas com esta voz humana é um som de ululação organica.
Mas este ambiente aureótico, com o seu sensual e inegável efeito afrodisíaco em sujeitos, é periférico para a função essencial da máquina: despertar estados de urgência e bravura, e para desarmar o charme íntimo do interior de uma criança violenta. Enquanto que os comprimentos de onda juntos de 9hz, 3hz de 56hz assinalam um estado ferocidade e austeridade de alto nível dentro de aproximadamente 4 metros, os encantamentos Trithemianos impregnando enriquecedoramente a transmissão aural da máquina produzem sensações de "sabedoria" e "abertura desenfreada".
A combinação de desencadeadores de mecanismos emocionais drasticamente contrastantes resulta muitas vezes num enlace profundamente comportamental que ocorre logo após (no mesmo momento) o utilizador entrar e permanecer no campo auricular da máquina. O patenteado enlace Plecidic é descrito num estudo do inventor Bill Jenkins como "Distúrbio sensitivo", uma "catarse atómica de ansiedades nucleopatrifóbicas e armadura tanática e bloqueadora." [1]
Experiências documentadas incluem casos nos quais os sujeitos previamente desconhecidos um com o outro encontram-se livremente a partilhar pensamentos pessoais, segredos e/ou sentimentos vulneráveis, em vários casos até ao ponto de impetuosamente retirar as vestes. Outros demonstram uma força extraordinária e uma focagem detalhada numa vontade. Por exemplo, um nacionalista Catalão diletante usando a máquina diariamente por um período de cinco ou seis semanas, eventualmente conseguiu ficar nas boas graças de Adolfo Hitler, persuadiu-o de adoptar a suástica como o grande totem e emblema da burguesa Conferência Nacional Socialista, e justificou a sua partida dos aliados arianos regressando à Alemanha em 1942 para apresentar a Hitler as inestimáveis graças do Dalai Lama.
Diz-se que a experiência mais conhecida (na qual seis jovens sujeitos transformaram a sua recém encontrada atenção para a morte, e supostamente desencadearam a sua força física e determinação sobre eles próprios num congresso de estrangulamento erótico[2] ) lançou, por um lado, uma nuvem negra sobre esta útil ferramenta, por outro lado, erroneamente compelindo pessoas inteligentes – dos círculos artísticos e científicos-- para evitar a máquina no seu conjunto. Depois de décadas fechada a portas trancadas, a Feraliminal Lycanthropizer, protegida pela Plecid Foundation e pela William Jenkins Estate sob a direcção de Bill Jenkins, Jr., está agora novamente a entrar numa fase de experimentação comum.
Em 1978, Bill Jenkins, Jr., Geral Magistrado da Plecid Foundation em Nova York, da qual o seu venerável pai obteve o título de Magus Eugenaestheticus, organizou um convite global aqueles indivíduos prontos para experimentar uma transmogrificação sensitiva, primária e holística passando uns momentos no laboratório do pai sozinhos com a máquina. Os resultados foram bastante aprazíveis para o jovem Jenkins: de 108 sujeitos voluntários escolhidos por todo o mundo, cinquenta e seis concordaram submeter-se ao programa aprendiz de Jenkin; em nove anos, doze deles evoluíram para artesãos profissionais capazes de produzir máquinas de suficiente qualidade para genuinamente criar uma alvorada de sabedoria primitiva ao virar do milénio.
Dr. Robert Hutchins, tardio professor de Química da Universidade de Michigan escreveu, num jornal de laboratório de 1921, época em que a máquina foi trazida para sua casa e que a experimentou "incognitamente" em encontros sociais. O interesse de Hutchin parece ter sido de alguma maneira questionado pois o jornal parece ter dado espaço desordenado aos relatos delirantes de má conduta sexual, justapostos com vagas tentativas explicações científicas. Contudo as afirmações [3] provam claramente que a Feraliminal Lycanthropizer entrou rapidamente nos círculos académicos muito antes da utilização pelos Nazis. Em seguida um excerto:
Presentes neste momento estão Sr. e Sra. Cedric Wellington, Miss Elizabeth McFadden e Miss Betame, cujo o sobrenome não me consigo lembrar. O grupo esteve na presença da máquina, preparada a 5,6dbs, por aproximadamente duas horas e meia, duas das quais forma passadas num estado animalístico.
Depois de meia hora da sua chegada, a Miss McFadden juntou-se ao Sr. e Sra. Cedric Wellington numa menage absolutamente deplorável no chão da sala de estar. Miss Betame pareceu inicialmente um pouco desorientada com isto, mas em cinco minutos removeu a maior parte da sua roupa e começou a cariciar o seu órgão sexual. Depois de cinco a seis minutos destas buscas sexuais desenfreadas, a Miss Betame, aparentemente sem vergonha e de gatas, tentou aproximar-se do meu corpo, no lado oposto da sala. Numa tentativa cordial, esbocei um pequeno sorriso e deixei a sala para preparar mais refrescos para os convidados.
Após caminhar para a cozinha, tive de recuperar o fôlego. Nunca havia testemunhado este tipo de comportamento e menos o esperaria de membros do meu próprio grupo. Regressei à sala, pus a hors d'oeuvre no final da mesa junto ao sofá e sentei-me numa cadeira em frente à menage. Elizabeth, que se juntou aos outros, olhou misteriosamente na minha direcção e rastejou pela sala até mim, entrei em pânico e de repente fiquei paralisado, Para além dos efeitos da Feraliminal Lycanthropizer, que estiveram perto de me levar à submissão, distraí-me com a Sr. Wellington, que uivava enquanto parecia estender o seu punho esquerdo inteiro, fechado firmemente, pelo canal de nascimento de Elizabeth. A senhora parecia estar a lutar para dizer algo que eu estava determinado a decifrar. Quase entrei numa espécie de estado de transe.
As mãos de Betame estavam rapidamente e hipnóticamente movimentando-se para me retirar a camisola. Comecei a suar abanei-me e ausentei-me novamente, desta vez fui ao lavatório, onde completei a minha investigação. Claramente, o Feraliminal Lycanthropizer de Jenkin é uma ponte fundamental entre homem e besta, e , se usada com extrema descrição, poderá servir para uma emancipação sobre personalidades fragmentadas de um condicionamento restritivo e maneiras que indubitavelmente estendem no auge de todos os distúrbios neuróticos e psicóticos.

Mahabad Golriz, botânico Persa reconhecido, passou uma porção substancial dos seus últimos anos em Lausanne procurando subsídios do Islamic Trust For Arts & Sciences para a criação de um comité dedicado à investigação completa dos efeitos da Feraliminal Lycanthroper no mundo das plantas. Golriz observa:
O Lycanthropizer põe em movimento o processo de mudança subtil no ìnfimo local da molécula de DNA.. Em estudos privados, os meus colegas e eu observamos uma consistência de 72% nas mudanças drásticas que a máquina impõe sobre as expressões fenotípicas do nokhod (ervilha pois chiche).
Walter Stevens, Director Assistente de Operações Secretas, uma das artérias principais do National Security Council, confidenciou a um antigo agente do NSA que o Feraliminal Lycanthropizer fora usado extensivamente durante e depois da guerra do Vietnam como um soro da verdade, ajudando a descobrir informação essencial de criminosos de guerra americanos e prisioneiros de guerra transtornados. Apesar de Stevens não poder ser citado directamente, e identificar o nosso intermediário seria uma quebra de confiança, possuímos em nossa posse fotografias do domínio publico explicitamente documentando o uso da Feraliminal Lycanthropizer no cenário desses interrogatórios.

Possuo uma Feraliminal Lycanthropizer, claro. Construí a minha FL com a bondosa assistência do filho do inventor idealista, Bill Jenkins Jr., contudo na comemoração do meu 27º aniversário,uma visita intencionalmente localizou a FL (que já se encontrava ligada à electricidade) e ligou-a! Os resultados foram profundamente desastrosos para todos os convidados, e a máquina está em destroços, pelo meu procedimento de tirar a máquina do quarto e atirá-la pela janela do segundo andar para o pátio de cimento. Apesar deter a intenção de reconstruir a estragada FL, suponho que esteja a recuperar desse incidente.


[1] Journal of International Science, vol. V, no.s 6-9; serial reprint; New York, 1933-4.

[2] New York Times, Maio 20, 1970, p. C6.

[3] Psychoradionics: William Jenkins Contra Robert E. Hutchins (Adam Yean, ed.). Edinburgh: Magnum Opus Hermetic Sourceworks, 1947.

Reimpresso do "David Woodward Supremo Senhor do Universo" website no http://www.davidwoodard.com/ com permissão de David Woodward

Translated from the "physicsroom" website at www.physicsroom.org.nz

2 comentários:

adrian disse...

Respondendo por comentários já que o post lá é antigo:

A história de Joey é contada em A Fortaleza Vazia: O Autismo Infantil e o Nascimento do Ego. A edição que eu li é em espanhol (La Fortaleza Vacía), não sei se há tradução para o português. É mais fácil de achar em sebos e bibliotecas, já que as teses do Bettelheim sobre o autismo infantil estão desacreditadas há algum tempo.

abraços ^^

dr. uranio disse...

Obrigado pela informação.
Vou procurar o livro que me indicou.
Cumprimentos